Somos menos violentos hoje?

O psicólogo canadense Steven Pinker defende, numa entrevista, a ideia de que a humanidade nunca foi tão pacífica. Segundo ele, a noção de que o século XX foi o mais violento da história é rechaçada por inúmeras evidências. Em suas palavras, “as estimativas que temos sobre as mortes nos séculos anteriores, quando calculadas como uma proporção da população mundial daquele período, mostram que pelo menos nove atrocidades anteriores ao século XX são bem piores que a Segunda Guerra Mundial.” Será?

O homem sempre foi um ser belicoso, é mais do que sabido. Ao longo dos tempos foi sofisticando as mais variadas formas de matar o seu semelhante. Está em nosso DNA o desejo de guerrear, como se carregássemos dentro de nós o que há de mais primitivo e que disfarçamos com o nome de história. Mas, talvez, o que aconteça hoje em dia é uma sofisticação e uma maior rapidez em divulgar o que acontece nos quatro cantos do mundo. É iniciar uma guerrilha e, ato contínuo, estaremos sabendo que uma pequena comunidade do Cazaquistão entrou em guerra com seus rivais políticos ou religiosos. A facilidade que temos em descobrir o que se passa em qualquer lugar, diluindo fronteiras, nos dá a noção equivocada que estamos nos matando mais do que nunca.

Pelo menos num aspecto “evoluímos”: aprendemos a dizimar aos milhões infligindo menos dor. Imagine o que acontecia nas Cruzadas, por exemplo. Homens sendo trespassados por lanças, agonizando durante horas ou mesmo dias, num sofrimento sem fim. Hoje inventamos métodos praticamente indolores. É só aspirar um gás letal e pronto: adeus! É claro que isso não minimiza o horror e nos absolve da nossa estupidez. Apenas sinaliza uma nova maneira de dar fim a quem está atrapalhando o nosso caminho.

Existirá mesmo essa tendência rumo à redução da violência? É uma tese controversa, mas que pode, ao menos, nos obrigar a pensar o que está acontecendo com o planeta. Estatísticas a parte, a sentença de Hobbes continua mais atual do que nunca: “O homem é o lobo do homem.”

Abraços,    Gil

Fonte: ClicRBS

0 comentários: