Lemos convertendo as palavras em imagens


Uma pessoa com capacidade de leitura normal pode ler uma palavra incrivelmente rápido, em menos de um segundo. Isso é devido a que na primeira leitura de uma palavra, o cérebro a codifica visual e foneticamente. Mas quando já conhecemos o termo, é reconhecido só de forma visual, como se fosse um objeto sem parte sonora, o que agiliza a leitura. O mecanismo foi descrito por uma equipe de neurocientistas da Universidade de Georgetown (EUA) que apresentou sua descoberta  na reunião anual da sociedade americana de neurociência.

Para estudar as estratégias de leitura do cérebro, os autores realizaram uma prova de reconhecimento de palavras diferentes, mas que soam igual em inglês (homófonas) a 12 voluntários enquanto eram submetidos a ressonância magnética funcional. O experimento mostrou que eram ativados neurônios diferentes, exatamente assim como ao ler duas palavras que não soam parecido.

- "Isto sugere que nosso cérebro usa sempre a informação visual de uma palavra e não os sons", conclui Laurie Glezer, que dirigiu o estudo. Esta representação visual permite "o reconhecimento rápido e eficiente de palavras, habilidade característica dos bons leitores", acrescenta o pesquisador, que assegura que os leitores treinados desenvolvem uma representação puramente ortográfica das palavras depois de muitos anos de leitura.

Os disléxicos, no entanto, tem problemas de processamento fonético dos sons, o que lhes impediria desenvolver uma representação visual das palavras que ajude-os a reconhecê-las.

-"Para eles, não há vantagem nenhum em utilizar o 'dicionário visual' para processar mais rápido as palavras", esclarece Glezer, que espera que seu trabalho ajude a tratar estes problemas.



0 comentários: